...........
imprensa

"Os espetáculos "Pagu", "Gabeira" e "Lulu" de Carmen Paternostro se tornaram verbetes históricos de um dicionário brasileiro de artes cênicas que alguém ainda vai escrever." (Helena Katz, Estado de São Paulo 1984).

"O mínimo que se poderia esperar da origem baiana de Carmen Pater-nostro seria certa ginga, certa sensualidade. Mas sua vocação de gira-mundo levou-a a incorporar valores de outros povos, outras culturas:da Alemanha que a fascina, crítica, rigor e método embora nunca os métodos dos outros, só os dela própria; da Índia que a intriga, uma visão mais metafísica da realidade nunca o que parece ser, mas o que é. De Minas..., bem, os espetáculos de Carmen em Belo Horizonte são quase inclassificáveis." (Marcello Castilho Avellar, Estado de Minas 1986 ).

"Carmen Paternostro, com farta bagagem, desenvolve um trabalho sério,que tem profundidade e faz sua poética chegar ao público daqui ou dequalquer canto do planeta." (Valmir Santos, O Diário São Paulo 1994).

"Uma nova montagem teatral, Otelo", promete causar discussões, mexer mais com o atual panorama das artes cênicas da cidade e, quem sabe, se constituir em mais um sucesso na carreira da diretora Carmen Paternostro ou até da história do teatro baiano." (Clodoaldo Lôbo, A Tarde, Salvador 1995).

"A pesquisa e a investigação são componentes inquestionáveis nos espetáculos realizados pela premiada diretora Carmen Paternostro, uma das mais admiradas e respeitadas no cenário teatral de Salvador." (Bahia Hoje 1995).

"Carmen Paternostro, uma diretora criteriosa, densa, guerreira..."
(Clodoaldo Lôbo, A Tarde, Salvador 1996)

"Uma das mais respeitadas profissionais das artes cênicas do País."
(Sérgio Rodrigo Reis, Estado de Minas 2000)

Voltando em 1988 para a Bahia e colaborando por dois anos com a Fundação Cultural do Estado como Diretora do Departamento de Dança, em 1992 constituíu o seu tradicional grupo INTERCENA BAHIA que desde então realizou inúmeras produções.






  
.