espetáculosemrepertório    

           
 

"Lágrimas de Um Guarda Chuva"
peça teatral de Eid Ribeiro; cenografia Euro Pires, 1997.
Elenco: Ary Guimarães, Luiz Pepeu, Marcley Oliveira, Rose Anias, Tom Carneiro, Urias Lima, Yulo Cezzar.
Apresentações: Salvador, Belo Horizonte no Primeiro ECUM/Encontro Mundial de Artes Cênicas.

"...uma história que levou Carmen Paternostro a reencontrar o Brasil no palco..., numa equilibrada conjunção de forma e conteúdo” (Marcos Uzel, Correio da Bahia);

"Carmen Paternostro... nos deu uma encenação de sutil e tosca beleza. Os elementos de que se cerca, além de sua hábil direção, brindam o público com uma plasticidade tocante." (Clodoaldo Lôbo, A Tarde, Salvador).


...........

   

"Chiquinha Gonzaga"
uma colagem cênico-musical baseada na peça teatral "Oh ! Abre Alas" de Maria Adelaide Amaral; cenário Gilson Rogrigues; produção SATED-Ba, 1998
Elenco da segunda montagem: Anita Bueno, Cristiane Pinho, Daniel Oliva, Fabiana Coelho, Kleber Sobrinho, Kleber Santana, Lika Ferraro, Marta Leão, Mauricio Assunção, Sandro Rangel, Wal Menezes.

"Carmen Paternostro evitou o glamour exibicionista, valorizou o instrumental, executado com delicadeza pelos músicos ao vivo, e provocou um agradável efeito nostálgico sem cair no lugar comum... A linguagem corporal é ressaltada como outro elemento determinante." (Marco Uzel, Folha da Bahia).


..........

 


"Mulheres de Hollanda"
espetáculo de teatro musical baseado em canções de Chico Buarque de Hollanda e no roteiro de Pedro Paulo Cava; co-direção Kleber Sobrinho; direção musical Luciano Bahia; cenografia e figurino Carmen Paternostro e Rino Carvalho 2001.
Cantores: Dino Brasil, Fafá Carvalho, Karina de Faria, Jhanaina Carvalho, Luciana Commin, Priscilla Alpha, Sandro Rangel, Suzana Bello.
Orquestra: Geovana Franco (violão, guitarra), Ilma Nascimento (violoncelo), Ingrid Steinhaggen (sax, flauta), Taís Carvalho (piano).

"A diretora Carmen Parternostro foi cautelosa ao colocar a música em absoluto primeira plano..., busca essencialmente chamar a atenção do público para o elo poético entre as mulheres e a obra de Chico Buarque, destacando o desejo de realização do femininodiante da existência do masculino... A encenação acabou ganhando um agradável tratamento de show sem a teatralidade ficar em segundo plano..., o papel teatral se revelando no próprio canto e ganhando força nas boas soluções cênicas... A musicalidade também é realçada pela charmosa idéia de colocar um conjunto de câmara formado por mulheres para acompanhar ao vivo os interpretes" (Marcos Uzel, Folha da Bahia).


 


"O Evangelho Segundo Maria"
espetáculo de teatro itinerante; texto de Armando Avena; co-direção Kleber sobrinho; cenografia e figurino Moacyr Gramacho, 2003/2004
Prêmio Braskem: Ator Coadjuvante Ângelo Flávio, Cenário e figurino Moacyr Gramacho; indicações: Autor, Atriz Coadjuvante, Produção.

Elenco: Alex Muniz, Amarilho Sales, Daniel Farias, Edlo Mendes, Fabiana Monçalu, Iara Colina, Joana Schnitman, Luiz Pepeu, Rui Manthur, Sandro Rangel, Tatiane Carcanholo, Viviane Marques.

"Dia virá em que o poder será das mulheres, em que Deus despirá seu manto de varão, tornando-se, como no início dos tempos, homem e mulher; nesse dia, haverá paz na terra" (Jesus na obra de Armando Avena ).

"A direção geral de Carmen Paternostro é poderosa, a cenografia e figurinos de Moacyr Gramacho deslumbrantes...O autor da obra ficcional Armando Avena é o grande responsável pelo êxito da peça, apesar de a adaptação de Carmen Paternostro ser ótima... Um espetáculo lúdico sacrossanto" (Clodoaldo Lôbo, A Tarde Salvador).